Cerveja feminina: do jeito que a mulher quiser!

Olá amigo cervejeiro, olá amiga cervejeira!

Nesta semana da mulher, nada melhor do que fazer um post especial para elas! Afinal, quando falamos em produção de cerveja artesanal, é cada vez mais comum encontrar a força feminina com a sua própria produção. Aliás, este já é um espaço conquistado há muitos séculos, tanto que a EZbrew decidiu fazer um ebook especialmente para as mulheres.

“As mulheres e a produção de cerveja artesanal em casa” (Clique aqui para baixar) é um material especial com a histórias reais, dicas de receitas e muita inspiração feminina! Não deixe de ler!!!

Cerveja feminina? Que nada!

Sabe a ideia de que a cerveja feminina é aquela mais fraquinha? Esqueça isso! A mulher cervejeira sabe o que quer e isso não é necessariamente uma bebida com menor teor alcoólico ou ainda com menos amargor.

De fato, diferentes mulheres curtem diferentes tipos de cerveja, algumas mais amargas, algumas mais frutadas. Há gosto para todos os estilos, inclusive aqueles mais históricos.

No nosso ebook trazemos, por exemplo, receitas como a Cerveja Viking das mestre-cervejeiras Fátima Jardim e Cláudia Carolina (obrigado, amigas!). Essa é uma Witbier, um estilo de cerveja de trigo, surgido há mais de 400 anos na Bélgica.

As mães da cerveja

Volte bastante no tempo e chegue perto de 4.000 a.C. Vá até a região da Suméria. Talvez você encontre os homens daquele povo em um momento de caça ou guerra, enquanto as mulheres estão em casa, preparando comidas e bebidas, entre elas a cerveja. Essas antigas mestre-cervejeiras, conhecidas como Sabtiem, tinham grande importância e, dizem as lendas, poderes quase divinos.

Quer mais? Segundo a mitologia escandinava, guerreiros vikings mortos em combate se tornariam imortais caso fossem recebidos em Valhala com cerveja feita por Walquírias, mulheres que tinham como função escolher aqueles que morreram com honra.

Muitos anos depois, durante a Idade Média, itens para a produção de cerveja faziam parte do enxoval das noivas na Alemanha. Já na Inglaterra tabernas tinham toda a produção a cargo de mulheres, conhecidas como alewises.

Essas e outras histórias estão no “As mulheres e a produção de cerveja artesanal em casa”. Confira!

Reconquistando o espaço

Apesar de toda essa história, nos últimos séculos a produção de cerveja passou a ser vista como uma atividade mais ligada ao mundo masculino. Que besteira!

Hoje isso ficou no passado. Há mulheres que tem a cerveja artesanal como hobby, que escrevem profissionalmente sobre o assunto, são sommelières, mestre-cervejeiras responsáveis por grandes produções e muito mais.

Muito justo! Há mulheres que conhecem e pesquisam sobre o assunto e estão à vontade para exercer qualquer profissão ligada à cerveja ou mesmo se divertir fazendo sua própria bebida e degustando com a família ou com amigos (e amigas!).

Lugar de mulher é… onde ela quiser!!! E a EZbrew dá toda a força para que elas estejam à vontade no mundo da cerveja artesanal.

Um brinde à semana das mulheres e a todas aquelas que seguem as tradições das Sabtiem, Walquíria e Alewises! Boa produção para vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *