Cervejas americanas: conheça a história do sabor da liberdade

Já vimos aqui no Blog da EZbrew a história da cerveja na Alemanha e na Inglaterra. Agora chegou a hora de conhecer como essa bebida cruzou o oceano e chegou até o Mundo Novo. A cerveja americana tem personalidade e uma história bem saborosa. Confira!!!

O início da escola americana de cervejas

Bom, para início de conversa, mesmo se os europeus não tivessem chegado a este lado do planeta, ainda assim existiria cerveja americana, isso porque os nativos da América do Norte já produziam (e consumiam) uma bebida fermentada à base de milho, uma espécie rudimentar de cerveja.

A partir de 1492, com a chegada de Cristóvão Colombo, começou a colonização Britânica e é claro que a cultura inglesa teve forte influência neste novo continente. A cerveja da terra da Rainha acompanhou o início da história da América do Norte.

No entanto, a cerveja, assim como a cultura, foi se transformando com o passar do tempo. Novos hábitos e sabores foram sendo agregados às receitas originais. No fim do século XIX, a chegada de imigrantes alemães trouxe grandes novidades.

As lagers então se tornaram populares no país e aos poucos também foram se transformando. Os americanos tomaram gosto por uma receita que incluía milho ou arroz e as light lagers passaram a dominar o gosto local.

Um pouco depois, já em 1920, uma lei fez com que a história da bebida nos Estados Unidos tivesse uma nova grande transformação: a Lei Seca.

Lei Seca e o impacto na história da cerveja americana

Embora alguns estados americanos já tivessem restrições quanto ao consumo de bebida alcoólica desde 1848, foi em 16 de janeiro de 1920 que a Lei Seca virou nacional. Durante os 13 anos em que a lei esteve em vigor, muitas cervejarias quebraram, enquanto outras aproveitaram a estrutura e passaram a produzir sucos, refrigerantes e até cerveja sem álcool.

Após 1933 restavam poucas cervejarias e o mercado se tornou extremamente competitivo. Era difícil para as empresas menores competirem com as gigantes como a Budweiser (marca da Anheuser-Busch, cervejaria fundada em 1876), que investiram em técnicas de produção mais modernas e em estratégias maciças de marketing.

A era da produção em massa popularizou as American Largers, mas isso não quer dizer que outros estilos de cerveja da escola americana também tivessem seu espaço no gosto dos yankees.

A chegada dos “homebrewers” e da “craft beer”

A partir do fim dos anos 1970 a produção de cerveja caseira, a craft beer, começou a se popularizar nos Estados Unidos. Consumidores em busca de melhores produtos passaram a fazer a cerveja em casa, seguindo receitas tradicionais e criando outras. Estes produtores caseiros passaram a ser conhecidos como homebrewers.

Entre os estilos da escola americana de cerveja podemos citar:

  • A American Larger;
  • As Ales lupadas;
  • A American IPA;
  • As Wood-Aged Beers;
  • A Pumpkin Ale.

Mais recentemente a internet popularizou as receitas. A informação hoje circula de maneira muito mais ágil, os homebrewers trocam informações com cervejeiros de todo o mundo e novas mudanças nesta história certamente estão por vir. Para a nossa sorte!

Um brinde a isso!

Ou “Cheers” (Saúde), como diriam os americanos.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *