Principais tipos de maltes cervejeiros e suas diferenças

Saudações, amigo cervejeiro!

Vamos conversar um pouco sobre um dos ingredientes essenciais para a produção da sua cerveja artesanal: o malte! Ele é indispensável no processo de fabricação, por isso, é importante conhecer quais os maltes cervejeiros disponíveis e suas diferenças.

Isso porque o malte vai influenciar diretamente em características como sabor, cor e consistência (ou corpo) da sua cerveja caseira. Acompanhe com a gente as principais variedades e saiba como escolher o malte ideal para sua produção.

Veja também: O que você precisa para se tornar um cervejeiro em 2021

Malte Base e Malte Especial

Antes de tudo, vale sempre lembrar: o malte é um grão, geralmente a cevada (mas, pode ser trigo, centeio ou outro), que passa pelo processo de malteação. Isso significa que ele tem sua germinação controlada, através das etapas de maceração, germinação, secagem e crivagem.

Feito tudo isso, o grão que se transformou em malte, pode ter duas classificações: o malte base e o malte especial. A principal diferença é que o primeiro, como o próprio nome sugere, tem como função ser a base da sua bebida.

A secagem do malte base é feita a uma temperatura de aproximadamente 65°, o que faz com o que grão não libere sabores marcantes nem cause impacto sobre a coloração da sua cerveja. Mas, é muito importante para liberar enzimas que vão contribuir no processo de fermentação.

Já os maltes especiais ficam mais tempo expostos às altas temperaturas e, por isso, têm cores e aromas mais marcantes. Por isso, é bastante comum realizar um blend de maltes.

Veja também: Mash out: o que é e porque fazer

Tipos de malte

Depois dessa classificação inicial, entre maltes base e maltes especiais, existem os tipos específicos de maltes que derivam de cada um desses processos.

Conheça agora os mais comuns e descubra qual vai casar melhor com as suas receitas:

Pilsen

É o mais utilizado como base para as receitas de cerveja, sejam artesanais ou comerciais. O resultado aparece no copo em forma de uma bebida mais leve, na cor e no sabor.

Pale Ale

Esse malte é um pouco mais escuro, em função de tempo e temperaturas maiores utilizadas em seu processo de malteação. Isso também impacta no sabor, que caminha para uma linha adocicada.

Mild

Segue uma linha próxima ao Pale Ale, com a diferença na utilização de temperaturas mais elevadas na secagem: na prática, a cerveja ganha um sabor mais intenso, com um leve toque de tostado e adocicado, ao mesmo tempo.

Caramelo

Como o próprio nome já diz, esse malte confere um sabor caramelizado à sua cerveja. A cor também pode variar entre tons de amarelo escuro e marrom.

Torrado

A malteação desses grãos é feita com temperaturas muito altas, chegando à torra. Fazem parte desse grupo os maltes Chocolate, Café e Black.

Outros grãos

A cerveja pode ser produzida com a utilização de outros grãos, como trigo, arroz ou centeio. Eles podem servir tanto como “ajudantes” para chegar a algumas texturas ou sabores, ou serem o malte principal, como no caso das cervejas de trigo.

Bem amigo cervejeiro, agora você já está por dentro dos principais tipo de maltes e suas diferenças. A nossa dica de ouro é para quem quer se aprofundar e conhecer mais desse universo:  o curso Malte e Malteação, que foi produzido pela Universidade EZBrew em parceria com a Brau Akademie, traz conteúdo exclusivo sobre esse tema, acesso online e apostilas, além de certificação.

Um brinde à escolha do malte perfeito!

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *