Frutas e cerveja: dicas para fazer combinações perfeitas

Saudações, amigo cervejeiro!

 

Nem só de malte e lúpulo vive a cerveja caseira, sabia? A utilização de frutas na produção é bastante comum, principalmente quando falamos em cervejas artesanais – e, quando você consegue agregar esse sabor a mais na sua cerveja, ela fica inesquecível.

Existem diversas maneiras de dar esse up na sua produção, mas, é preciso ter muito cuidado e atenção ao processo de adição da fruta. Por isso, preparamos algumas dicas importantes para você poder desfrutar (não tinha como resistir ao trocadilho!) da melhor cerveja artesanal que existe: a sua!

 

Quais frutas podem ser usadas?

Aqui não existe uma regra rígida, sobre o que pode e o que não pode – o limite é a sua criatividade. Isso porque, até a forma de adição é variada, podendo ser desde a fruta fresca (em pedaços ou suco), sua polpa ou um extrato.

O que costuma se ver, de maneira mais comum, é a utilização de maracujá, laranja, abacaxi, limão e frutas vermelhas em geral (morango, blueberry, cereja, framboesa, entre outras).

As frutas cítricas, mais azedas e com acidez maior, costumam ter resultados melhores nessa combinação. O importante é ter sua receita em mente e explorar ao máximo o potencial da fruta na sua produção.

Veja também: O que você precisa para se tornar um cervejeiro em 2021

Em que momento da produção adicionar a fruta?

Novamente, não há uma regra geral para essa etapa, que pode ser feita em momentos diferentes do processo de produção. O mais comum é que incluir as frutas na mosturação (final da fervura) ou na fermentação (maturação).

Há ainda relatos de experiências de inclusão da fruta durante o envase, mas, os cuidados com excesso de açúcar e problemas na carbonatação podem acontecer.

Veja também: Fase quente X fase fria da cerveja

 

Na mosturação (final da fervura)

Aqui, o segredo é incluir a fruta ao final da fervura, para que esse processo não altere o sabor da sua bebida – muitas frutas, ao serem fervidas, podem liberar substâncias que alteram o gosto e a aparência da cerveja. Cerca de cinco minutos antes do final da fervura já seria o suficiente.

Incluir a fruta nesta etapa também ajuda no resfriamento do mosto, especialmente se estiverem geladas/congeladas.  Além disso, incluir a fruta ao final da fervura elimina os riscos de contaminação.

Veja também:  Universidade EZbrew: conheça os cursos do nível avançado

Na fermentação (maturação)

Muitos mestres consideram essa a melhor etapa para inclusão das frutas na produção, isso porque, em função da quantidade de sabores residuais, o aroma e o paladar da fruta tendem a ficar mais impregnados na bebida.

De qualquer maneira, também vale ressaltar que o risco de supercarbonatação existe, já que o açúcar derivado da fruta não foi fermentado. Para evitar esse problemão, pode-se fazer um ajuste de priming, em função da quantidade de açúcares da fruta utilizada. A carbonatação forçada também é uma alternativa.

Veja também: Homebrewing: veja como fazer a maturação da sua cerveja

 

Qual a quantidade de frutas se deve usar?

Adivinha… aqui também não existe uma fórmula secreta! Tudo depende muito do gosto de quem está produzindo – e que vai beber, claro. Uma dica é consultar quem já fez esse tipo de produção e sempre buscar informações confiáveis em livros e sites.

Mas, para você não ficar sem nenhuma ideia, vamos pensar em uma produção de 19 litros: se você quiser adicionar morangos, precisará de 4 a 5 kg da fruta. Uma média parecida de peso, caso queira fazer com blueberry.

Busque receitas e fontes confiáveis e logo encontrará a sua medida perfeita. E, claro, nunca deixe de testar… é assim que você chega à sua própria receita, do jeitinho que você quer e com o sabor que você procura.

Veja também: Solução Completa EZbrew: tudo o que você precisa para começar agora está aqui!

 

5 dicas de ouro para fazer a melhor cerveja com frutas

  • Quanto mais leve for a sua cerveja, mais o sabor da fruta vai aparecer. Ou seja, as cervejas mais claras, com menos lúpulo, costumam realçar mais o sabor frutado. Já as escuras e pesadas escondem esse sabor.
  • Dar preferência às frutas frescas vão garantir sabor e aroma mais elaborados.
  • Usar frutas congeladas é uma opção, mas, atenção com a etapa em que irá utilizá-la. No final da fervura, sem problemas, pois ela até irá ajudar a reduzir a temperatura mais rapidamente. Porém, se optar pela inclusão na fermentação, é melhor descongelar antes.
  • As frutas possuem açúcar, lembre-se sempre! Por isso, ao incluí-las em etapa finais é bom ter em mente que esse componente não será fermentado.
  • Pratique muito! Busque receitas, faça testes controlados e não desanime se a sua primeira cerveja frutada não ficar com o gosto tão acentuado quanto esperava. Com prática e experiência logo você chega ao resultado esperado.

Dar mais personalidade à sua cerveja é uma arte! Com estudo, determinação e muita prática você logo estará dominando o universo das cervejas frutadas. Conte sempre conosco nesta jornada, com os textos exclusivos do blog e todas os conteúdos com selo de qualidade que só a EZbrew tem.

 

Um brinde ao sabor único da sua cerveja!

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *