Vale a pena pasteurizar a sua cerveja?

Saudações, amigo cervejeiro!

Você já deve ter ouvido falar sobre o processo de pasteurização – mais conhecido por ser aplicado a produtos como leite ou enlatados de um modo geral.

Mas, você sabia que é possível pasteurizar a sua cerveja? Pois é… na verdade, todas as cervejas produzidas em escala comercial passam por esse processo, a fim garantir maior durabilidade.

Só que, quando o assunto é cerveja artesanal, é bom levar em consideração os prós e os contras de optar pelo processo de pasteurização. Vem descobrir como isso acontece!

 

Veja também: O que você precisa para se tornar um cervejeiro em 2021

 

Para começar, o que é a pasteurização

O método inventado pelo cientista Louis Pasteur, consiste em elevar a temperatura de um alimento ao ponto que o calor elimine as bactérias e microorganismos que ainda estejam vivos – e que podem estragá-lo ou causar doenças em quem o consome.

O nome do processo é uma homenagem ao cientista e a pasteurização se transformou num dos métodos mais eficazes de conservação para alimentos, especialmente os fermentados.

Para que tenha o efeito desejado, é preciso ele var a temperatura do alimento ou da bebida e, na sequência, resfriá-lo. É através de um choque térmico que os micro-organismos são reduzidos drasticamente ou eliminados totalmente.

Veja também: Fase quente X Fase Fria da produção de cerveja

Tem vantagens, sim

Como a gente já falou, o processo de pasteurização é bastante comum na produção em grande escala, nas cervejas comerciais.  Isso porque a maior vantagem do método tem a ver com a conservação da bebida.

Ela tende a durar mais tempo quando passa por esse processo, já que os micro-organismos que poderiam contaminá-la (especialmente no caso das cervejas, os lactobacilos) são eliminados.

Cerveja pasteurizada também é garantida de estabilidade, de um modo geral. Ou seja, ela tende a ficar mais homogênea. Só que isso também pode ser uma desvantagem para sua bebida artesanal, como vamos contar no próximo tópico.

Veja também: Qual o melhor, barril ou post mix?

E tem desvantagem também

Todo esse trabalho de superaquecimento e resfriamento da sua cerveja caseira pode ser inserido como uma etapa final da produção, depois do envase.

Porém, essas variações de temperatura pelas quais seu líquido precioso irá passar tendem a alterar algumas características da bebida que você vai consumir.  Entre elas, o aroma, o sabor e mesmo aquela sensação de frescor que as cervejas artesanais possuem.

 

Veja também: Mash out: o que é e porque fazer

 

Então, vale a pena?

Que pergunta difícil, hein amigo cervejeiro? A resposta vai depender daquilo que você quer realmente: conservar sua cerveja por mais tempo ou manter suas características essenciais intactas?

Ao optar pela pasteurização, leve em consideração que sua cerveja artesanal não atenderá exatamente àquilo que você previu quando escolheu sua receita. Por outro lado, ela irá durar mais tempo, sem risco de contaminações ou de estragar.

Um dilema, nós sabemos. Mas, se você estiver em dúvida, pode fazer um teste. Em uma de suas produções, tente aplicar o processo de pasteurização em uma parte do lote.

Assim, você terá a chance de conferir com seus próprios sentidos (o paladar, em especial) as diferenças entre os dois líquidos que passaram por uma finalização diferenciada.

Veja também: Universidade EZbrew: conheça os cursos de nível intermediário

Amigo cervejeiro, quanto mais você passa por aqui, mais aprende sobre cerveja artesanal, não é mesmo? Por isso, siga acompanhando nossas novidades aqui no blog e não deixe conferir os conteúdos altamente especializados e conceituados da Universidade EZbrew.

 

Um brinde aos novos aprendizados!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *